Pesquisar

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Das musas ocultas...

Todos nós seres humanos fantasiamos. Uns mais, outros menos, mas todos fantasiamos. E são exatamente essas fantasias que apimentam o nosso dia-a-dia e nos dão pequenos motivos para viver.
Pense naquela(e) menina(o)que vc vê todo santo dia no ônibus no caminho pra casa. Você de vez em quando pensa: " Ah! Se el(a)(e) soubesse...". Independentemente de ter um namorado, ser casado, ter uma amante, sei lá, existe aquela pessoa que povoa seu imaginário. E é o rei deste imaginário.
Nós homens sempre elegemos algumas musas. Eu disse SEMPRE!
Sempre existe aquela menina inalcançável e que por exatamente este motivo nos impressiona tanto. Pode ser a mais calada, a mais falante, a mais bonita, não importa, o que importa é que nunca, jamais seremos atrevidos o suficiente para conseguir tirar dela um olhar, um pingo de atenção.
Presenciei isso outro dia no ônibus. Meu amigo e eu conversávamos e ele simplesmente parou tudo e comentou: " Aquela menina lá na frente, vê? Eu acho ela linda. É como uma deusa pra mim." Ao que eu complementei: "Sério? É minha amiga. Estuda comigo. Só que é casada, se você quiser eu chamo ela pra cá. Ela é legal, vai ver!" Foi o suficiente pra ele me pegar pelo braço e dizer " Você não é nem maluco!"
Foi aí que percebi que ele também sofria do mal que já sofri tantas vezes "O MAL DA MUSA OCULTA" definido por uma tal de psicologia como Platonismo, hehe. Ele prefiria ficar no anonimato a ter de estar cara-a-cara com a musa dos sonhos dele. Sofro disso várias vezes e acho que meu caso é grave pois coleciono algumas. Uma delas estava inclusive naquele ônibus e mora 3 ruas antes da minha. Mas mesmo já trocando olhares algumas vezes acho que vou morrer sem saber o nome dela.
Isso aconteceu de uma maneira bem estranha nos tempos de colégio. Eu era completamente apaixonado por uma menina que eu nunca tinha sequer ouvido a voz. Mas que eu observava à distância e achava a coisa mais bela do mundo. Quando enfim a conheci, senti que não era aquele sonho, ou seja, a partir do momento que toquei minha musa ela virou uma simples mortal como todas as outras que riam de como eu estava envergonhado na hora de conhecê-la.
O que quero dizer aqui é: "Não importa onde ou como, você é a musa de alguém. Atente-se pra isso e quebre o encanto, mas de maneira sutil assim não perde um louco que vela por você."


Acho que quem está louco sou eu...